Feedback precisa-se…

Este blog anda muito calminho no que a comentários diz respeito. A minha questão é: alguma dificuldade na caixa de comentários? Acham complicado ou trabalhoso o processo de comentar no WordPress?

Este não é definitivamente um baby blog. Daqueles tão em voga hoje em dia que se têm espalhado por toda a blogosfera.

Não tenho patrocinadores porque não faço menções a marcas, não é esse o o meu objectivo… Não relato o meu dia-a-dia com pormenores, nem penso um dia colocar fotos íntimas da minha família (e isto não são críticas a quem o faz, acreditem, porque entendo que a liberdade de cada um pertence a si mesmo e eu respeito o que cada um opta por partilhar neste espaço global) – esta simplesmente é a minha maneira de estar.

Mas tenho pensado na funcionalidade que este meu canto possa ter. Interessa-vos conhecer este lado mais alternativo da maternidade que tenho mostrado? Faz sentido? Tantas mulheres falam destas mesmas coisas e, por isso, não entendem o que vou partilhando como algo inspirador ou que vos faça pensar sobre estes temas? Será este blog igual a tantos outros?

A escrita para mim é, sempre foi, importante. Desde que sei escrever que partilho com os cadernos, e apenas eles, o que de mais profundo me povoa a mente e os sentimentos. Escrever para outras pessoas lerem, qualquer pessoa, sem conhecer quem “cusca” aqui o meu cantinho, é um acto de partilha que muito prezo. É verdade que não falo muito de muita coisa que faz parte de mim e dos meus dias, da minha vida, das cores de que sou feita porque, lá está, é demasiado íntimo para eu conseguir romper barreiras… nem quero! Mas a falta de feedback não deixa de ser desmoralizadora…E, como qualquer artista, uma pessoa que escreve (não me atrevo a chamar-me escritora) gosta de receber retorno do seu leitor.

Porque estou a passar por uma fase intensa e deveras transformadora, quero canalizar as minhas energias para o sítio certo.

Ajudam-me a perceber o que está a faltar aqui?

Sobre o blog

E porquê mais um blog sobre a temática da maternidade?

Desde muito cedo sinto um interesse muito grande pela área da educação.
Não sendo essa a minha formação profissional, fui-me tornando auto-didacta e, através da leitura e observação de pessoas, tornou-se claro para mim os caminhos que queria percorrer um dia, quando me tornasse mãe.

A responsabilidade que engloba a criação de um ser humano é algo que levo muito a sério e que se tem tornado uma paixão cada vez maior para mim.

Agora que me coube o privilégio de ser mãe e assim entrar num mundo que me deixa encantada, pensei que poderia ser interessante partilhar as minhas ideias com outras mulheres, sendo elas mães ou não.

Que se torne claro que não sou, de forma alguma, fundamentalista com os meus ideais ou crenças, no que à maternidade diz respeito. Acredito que cada mãe sabe, melhor do que ninguém, o que é melhor para a sua cria.

Este espaço vai de encontro a quem eu sou e focar-se-á na maternidade natural. Assim sendo, falarei sobre as minhas aprendizagens seguindo sempre de perto o que outras mulheres tiverem para me ensinar.

Obrigada por estarem desse lado!