Mudei-me!

Olá.

Para quem possa passar por aqui, devo dizer que me mudei para debaixo de um limoeiro encantado. Não deixem de me visitar:

http://alexavioleta.blogspot.pt/

Anúncios

handmade baby

Aproveitando um saco que já não usava e uma toalha turca, fiz um colchão muda-fraldas para o meu bebé. Gosto do seu ar exótico, nada usual nas peças para recém-nascidos que se vê por aí.

E para transportar as primeiras roupinhas para a maternidade, 3 bolsas com um tecido africano que já tinha há algum tempo.

 

azul

E no meio de um dia igual a tantos outros, no intervalo do cansaço que nos impulsiona a caminhar daqui ali, uma pausa.

Há uma cor que, de repente, me invade os sentidos. Ela está por todo o lado, acima e abaixo, dentro de mim.

E é nessa calmaria que fico, à espera, observando.

Gaivotas contam segredos a ouvidos atentos e curiosos. No céu, as nuvens fecham. No rio, as águas expandem.

O azul que em mim habita, esse… ficará para sempre.

Shantala

 

Assemelha-se a um balde e é indicada para bebés, desde o seu nascimento até um ano de idade. Quanto a mim, a banheira Shantala é forma mais prática e segura de dar banho a um bebé, por variadas razões:

– simula o ventre materno, logo o bebé sente-se seguro, aconchegado. É frequente pararem de chorar uma vez lá colocados, como podem ver no vídeo (o contrário acontece com as banheiras mais comuns – é frequente o bebé chorar, com medo do banho… sente-se desprotegido);

– é ecológica – na verdade, é preciso pouca água, sendo que é o corpo do bebé que faz a água subir;

– ajuda a acalmar os bebés mais agitados, facilitando o sono;

– alivia as cólicas;

– arruma-se em qualquer lado (e sei que as mães apreciam muito este factor práctico da questão);

– o preço é muito em conta.

E depois, claro… basta verem a reacção amorosa dos bebés para perceber que funciona…

Há várias cores disponíveis – a nossa foi comprada na Mamã Natura.

nesting

(imagem retirada daqui)

Enquanto me pergunto se dou continuidade a este blog ou não – há blogs que o fazem tão melhor que eu, como aqui ou aqui – a mim só me apetece mesmo é fazer o ninho. Mais do que uma necessidade práctica, é um recolhimento quase obrigatório que muito aprecio. As distracções são muitas, as listas de afazeres não acabam e o tempo continua a correr, desinteressadamente, muito cheio de si, com um ego tão grande que não espera por ninguém…

 
Sou levada a pensar como gerir tantas mudanças que se aproximam, como me organizo física e mentalmente para ter tudo preparado a tempo… e depois como encaixo tudo isso na minha necessidade de aproveitar simplesmente estes últimos tempos, de relaxar e apenas sentir a vida que pontapeia dentro de mim. Vou ter tantas saudades…

 

Será que o ninho que uma mãe começa a fazer durante a gravidez, pouco a pouco ou de uma assentada só, na realidade não se finaliza nunca? Talvez sejam ninhos que se constróiem com o próprio tempo, aproveitando uma rajada de vento aqui e ali para acrescentar pedaços, renovar, investir… É um trabalho de paciência que talvez nem todo o tempo do mundo ajude a concretizar!

neutros

Ando virada para os neutros. Ora digam-me lá se não ficam sempre bem com a pele preciosa de um bebé?

As imagens foram todas retiradas da net mas não sei a fonte… É o que dá armazenar pastas e pastas de imagens inspiradoras no computador…

One Love

Queria aqui escrever sobre ecologia mas os meus dias têm sido repletos de afazeres e emoções, desconfio que a minha cabeça navega por outros mares “nunca dantes navegados”. A única coisa que consigo aqui fazer são declarações de amor públicas ao duende que cresce feliz dentro de mim.

 


Não podia deixar de partilhar convosco um filme que me comoveu muito. Penso que passou despercebido do grande público mas vale mesmo a pena ver. Fala de música e de um rapaz que, através do amor pela música, reencontra os seus pais.

Gosto de pensar que o meu filho é um ser livre e nem sequer crio muitas expectativas em relação a como gostava que ele fosse. Será ele próprio e o aceitarei assim mesmo. Mas, se pudesse escolher apenas um detalhe acerca da sua personalidade (ok, para além de que seja um ser humano BOM), é que sinta esta mesma paixão pela música… que nos eleva ao céu e nos proporciona asas para voar…

 

* Muito obrigada a todas as mensagens carinhosas que me escreveram. Um abraço 2 em 1 🙂

Feedback precisa-se…

Este blog anda muito calminho no que a comentários diz respeito. A minha questão é: alguma dificuldade na caixa de comentários? Acham complicado ou trabalhoso o processo de comentar no WordPress?

Este não é definitivamente um baby blog. Daqueles tão em voga hoje em dia que se têm espalhado por toda a blogosfera.

Não tenho patrocinadores porque não faço menções a marcas, não é esse o o meu objectivo… Não relato o meu dia-a-dia com pormenores, nem penso um dia colocar fotos íntimas da minha família (e isto não são críticas a quem o faz, acreditem, porque entendo que a liberdade de cada um pertence a si mesmo e eu respeito o que cada um opta por partilhar neste espaço global) – esta simplesmente é a minha maneira de estar.

Mas tenho pensado na funcionalidade que este meu canto possa ter. Interessa-vos conhecer este lado mais alternativo da maternidade que tenho mostrado? Faz sentido? Tantas mulheres falam destas mesmas coisas e, por isso, não entendem o que vou partilhando como algo inspirador ou que vos faça pensar sobre estes temas? Será este blog igual a tantos outros?

A escrita para mim é, sempre foi, importante. Desde que sei escrever que partilho com os cadernos, e apenas eles, o que de mais profundo me povoa a mente e os sentimentos. Escrever para outras pessoas lerem, qualquer pessoa, sem conhecer quem “cusca” aqui o meu cantinho, é um acto de partilha que muito prezo. É verdade que não falo muito de muita coisa que faz parte de mim e dos meus dias, da minha vida, das cores de que sou feita porque, lá está, é demasiado íntimo para eu conseguir romper barreiras… nem quero! Mas a falta de feedback não deixa de ser desmoralizadora…E, como qualquer artista, uma pessoa que escreve (não me atrevo a chamar-me escritora) gosta de receber retorno do seu leitor.

Porque estou a passar por uma fase intensa e deveras transformadora, quero canalizar as minhas energias para o sítio certo.

Ajudam-me a perceber o que está a faltar aqui?